Programa Atuação Responsável® gera processo virtuoso de segurança dos produtos químicos

As empresas químicas estão na base da cadeia de valor de diversos segmentos industriais e fornecem matéria-prima para as indústrias farmacêuticas, de higiene pessoal, entre outros. Com objetivo de gerar um processo virtuoso de informações e permitir às cadeias adjacentes administrar os insumos de forma segura, as empresas químicas seguem o Programa Atuação Responsável®, que visa a melhoria contínua nas áreas de segurança, saúde e meio ambiente. O projeto é um compromisso voluntário da indústria química mundial, coordenado no Brasil pela Abiquim. Dentre seus requisitos, está a busca contínua em tornar processos e produtos mais seguros e sustentáveis. A adesão ao programa é requisito para a filiação das associadas efetivas e colaboradoras da Abiquim, incluindo as fabricantes de resinas termoplásticas.

As indústrias transformadoras de resinas termoplásticas representam um dos principais segmentos atendidos pela indústria química. Segundo dados da Abiquim, em 2016, o faturamento líquido estimado do conjunto das resinas termoplásticas foi de US$ 9,2 bilhões, o que representa algo perto de 17% da receita de produtos químicos de uso industrial no ano. Atualmente, o plástico é um produto fundamental no dia a dia das pessoas. E é papel da indústria química desenvolver processos e produtos para atender às demandas da sociedade e, ao mesmo tempo, garantir que eles possam ser utilizados, transportados e armazenados com segurança. O plástico permitiu o desenvolvimento de produtos e hábitos que tornaram o dia a dia mais prático e sustentável, como, por exemplo, as embalagens, que ajudam a aumentar o ciclo de vida dos alimentos e a diminuir seu desperdício. Os produtos feitos de plástico também são usados no segmento de saúde, no qual muitos dos materiais utilizados nos hospitais são plásticos e descartáveis.

A gestão segura dos produtos químicos compreende a gestão de seus riscos e a melhoria do desempenho de um produto em termos de segurança, da saúde e do ambiente durante todo o seu ciclo de vida. A gestão de riscos tem origem na identificação e na comunicação dos perigos dos produtos, baseada nos critérios do Sistema Globalmente Harmonizado para Classificação e Comunicação de Perigos (GHS). Visando aumentar a sensibilização do público e das partes interessadas para a gestão segura dos produtos químicos, bem como aumentar a transparência da indústria química e promover o manuseio seguro de seus produtos nas aplicações, a indústria química mundial implementou o Global Product Strategy (GPS), que consiste em um processo estruturado e abrangente para o gerenciamento de riscos de produtos químicos. No Brasil, a Abiquim tem o compromisso com a implementação do GPS, visando demonstrar que as empresas participantes compreendem os riscos químicos e exposições potenciais de seus produtos, aplicando práticas de manuseio seguras e ambientalmente corretas.

O transporte seguro é outro aspecto importante dos produtos químicos. Para reduzir os riscos envolvidos no transporte e distribuição, a Abiquim lançou, em 2001, o Sistema de Avaliação e Segurança, Meio Ambiente e Qualidade (Sassmaq). O sistema, baseado no modelo elaborado pelo The European Chemical Industry Council (CEFIC), estabelece critérios para a avaliação das transportadoras e operadoras logísticas por organismos certificadores, nos quais são verificados os aspectos relacionados às questões de saúde, segurança, meio ambiente e qualidade da empresa, bem como os serviços oferecidos e a estrutura operacional. A adoção do Sassmaq pelas empresas gerou, de 2006 a 2015, a redução de 70% no volume de acidentes por 10 mil viagens realizadas no modal rodoviário.

Por estar na base de diversas cadeias produtivas, os compromissos nas áreas de segurança, saúde e meio ambiente permitem à indústria química fornecer matérias-primas mais sustentáveis e seguras às empresas transformadoras, incluindo os fabricantes de plástico, que podem prosseguir com esse processo virtuoso desenvolvendo produtos que atendam às necessidades econômicas, sociais e ambientais do consumidor final.

artigo-abiquim